Notícias

Inadimplência do consumidor volta a crescer em abril, diz SPC Brasil

A inadimplência do consumidor registrou alta de 4,45% em abril de 2012, na comparação com o quarto mês de 2011, segundo dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito). Essa é a 14º elevação em 15 meses do indicador de dívidas, tendo como base a comparação intra-anual, algo que só não aconteceu em março deste ano, quando o índice registrou a primeira queda após treze meses consecutivos de expansão. 

Vale apontar também que o resultado negativo da inadimplência em março, que interrompeu longo ciclo de altas, foi artificialmente alterado por conta do efeito calendário, uma vez que em março de 2012 houve mais dias úteis que março de 2011, uma vez que se comemorou o Carnaval ano passado no terceiro mês do ano, e não em fevereiro, como de costume.

No acumulado do ano, ainda devido à forte queda observada na comparação entre março de 2012 contra março de 2011, a inadimplência acumula queda de 1,50%.

 

Vendas

Em relação às consultas no SPC Brasil, que refletem em certa medida o nível de atividade no varejo, abril apresentou alta de 3,02% ante o quarto mês de 2011, a décima terceira elevação seguida na mesma base de comparação.

A comparação entre fevereiro e janeiro, com queda de 7,74% nas vendas a prazo, é enxergada com naturalidade pelos dirigentes lojistas, uma vez que ainda se observava em março os efeitos extraordinários já descritos de calendários diferentes para a comemoração do Carnaval no Brasil.

 

Recuperação de crédito

Os números de cancelamento de registros, que dão medida ao nível de recuperação de crédito no varejo, foram positivos em abril, apresentando alta de 6,04% ante o mesmo mês de 2011. Já a comparação com o mês de março, sem ajuste sazonal, revelou queda do indicador, de 1,26% nos cancelamentos de registros junto ao SPC Brasil.

“O número positivo e alto de recuperação de crédito foi uma boa notícia, e praticamente compensa a alta da inadimplência em abril, porque, se observarmos percentualmente o estoque de devedores, mais gente saiu do que entrou no cadastro de maus pagadores em abril”, diz o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior.

No acumulado do ano, a recuperação de crédito registra alta de 2,15%.