Notícias

Comércio pede manutenção da taxa básica de juros

CNDL (Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas) afirma que o Copom (Comitê de Política Monetária) deverá manter a taxa básica de juros no atual patamar de 7,25% ao ano.


Na avaliação da entidade, os preços dos alimentos iniciaram movimento de queda nas primeiras semanas de abril, sinal de que a inflação deve recuar sem necessidade de alteração nos juros.

Indústria do plástico pede manutenção do juro básico, a taxa Selic Juros futuros fecham em alta antecipando possível elevação da Selic Centrais sindicais prometem protestos contra possível alta nos juros

"A inflação vai recuando automaticamente e a decisão de aumentar os juros pode ser adiada", afirma, em nota, Roque Pellizzaro Júnior, presidente da CNDL.

O Copom decidirá amanhã (17) se mantém a taxa Selic em 7,25% ao ano ou se altera a taxa básica de juros. Com o aumento das pressões inflacionárias, alguns analistas esperam uma elevação nos juros.

No período de 12 meses até março, a inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) atingiu 6,59%, acima do teto da meta estipulada pelo governo (6,5%).

De acordo com a associação, os preços internacionais de commodities também estão em trajetória de queda, o que deve contribuir para que a inflação fique mais comportada nos próximos meses.

A entidade defende que o governo deve priorizar o corte de despesas públicas para controlar os preços, deixando a alta nos juros como último recurso.

"O governo neste momento também deveria fazer um sacrifício político e enxugar o gasto público", declara o presidente da CNDL.


Fonte: Folha de São Paulo