Notícias

Mercado financeiro prevê menos inflação e crescimento em 2013

Os economistas reduziram na semana passada, pela quarta vez seguida, a previsão para a inflação de 2013. A estimativa do mercado financeiro, agora, é que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) chegue ao final do ano em 5,70% – na semana passada, a previsão era que a taxa ficasse em 5,81%. Há um mês, estava em 5,85%.


As perspectivas constam do relatório de mercado do Banco Central, conhecido como Focus, divulgado nesta segunda-feira (9). O documento é fruto de pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

Para 2014, a perspectiva do mercado para o IPCA ficou estável em 5,92%. Em doze meses até novembro, o IPCA somou 5,77%.

Produto Interno Bruto

O mercado financeiro também baixou sua previsão para o desempenho do PIB deste ano, de uma alta de 2,5% para 2,35%. A revisão aconteceu após a divulgação do resultado do PIB do terceiro trimestre deste ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que registrou uma retração de 0,5%. Para 2014, a estimativa dos analistas para o crescimento da economia recuou de 2,11% para 2,10% na última semana.

Taxa de juros

Após o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central subir no fim de novembro a taxa básica de juros da economia brasileira de 9,5% para 10% ao ano, o mercado manteve a previsão de novas altas do juro em 2014 – para 10,5% ao ano no fechamento do próximo ano. Em 2013, os juros não devem mais ser alterados, visto que não há mais reuniões do Copom programadas para este ano.

Pelo sistema de metas que vigora no Brasil, o BC tem de calibrar os juros para atingir as metas pré-estabelecidas, tendo por base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Para 2013 e 2014, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, o IPCA pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.

O presidente do BC, Alexandre Tombini, tem prometido somente queda da inflação neste ano frente ao patamar registrado no ano passado (5,84%) e um novo recuo no ano de 2014.

Câmbio, balança comercial e investimentos estrangeiros

Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2013 permaneceu inalterada em R$ 2,30 por dólar. Para o fechamento de 2014, a estimativa dos analistas dos bancos para o dólar ficou estável em R$ 2,40.

A projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2013 caiu de US$ 1,30 bilhão para US$ 1,25 bilhão na semana passada. Para 2014, a previsão de superávit comercial recuou de US$ 7,85 bilhões para US$ 7,45 bilhões na última semana.

Para 2013, a projeção de entrada de investimentos no Brasil ficou inalterada em US$ 60 bilhões. Para 2014, a estimativa dos analistas para o aporte de investimentos estrangeiros continuou em US$ 60 bilhões na última semana.



Fonte: G1