Notícias

Crescimento da inadimplência nas regiões Norte e Nordeste é menor do que na média nacional,diz SPC

Seguindo  a tendência observada  nos últimos meses a  região  Sudeste  foi  a  que apresentou, em outubro, o maior crescimento no número de pessoas inadimplentes

 

O indicador regional de inadimplência do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelou que o número de consumidores com parcelamentos em atraso nas regiões Norte (2,89%) e Nordeste (+3,15%) cresceu em ritmo menor do que o apresentado na média nacional, que foi de 3,95%. Os dados comparam a quantidade de inadimplentes em outubro deste ano em relação a outubro do ano passado.

Seguindo a tendência observada nos últimos meses, no mês de outubro, o Sudeste apresentou o maior crescimento de consumidores inadimplentes (5,60%) entre as cinco regiões pesquisadas. A região Sudeste foi acompanhada de perto pelo Centro-Oeste, cuja variação foi a segunda maior: um aumento de 5,58% no número de CPFs inadimplentes em relação a outubro do ano passado. Já o Sul mostrou o terceiro maior avanço (4,06%) e se manteve com um crescimento levemente superior ao da média nacional.

Contribuição de cada região

Além de apresentar a maior alta, a região Sudeste possui também a maior participação junto ao total de consumidores inadimplentes no Brasil (40,34%). Dessa forma, podemos observar que o Sudeste contribuiu com 2,23 p.p para a alta nacional anual de 3,95% observada em outubro.

"A região Sudeste é sem dúvida a mais ativa do país e responde pela maior parte do PIB brasileiro. Portanto é natural que concentre a maior fatia de consumidores inadimplentes do país", explica a economista do SPC Brasil, Marcela Kawauti.




A segunda maior contribuição veio da região Nordeste (0,82 p.p.) que, apesar de apresentar uma variação modesta em comparação com as demais regiões (+3,15%), possui a segunda maior participação junto ao total de inadimplentes brasileiros, concentrando 25,93% destes.