Notícias

Empresários querem investir nas redes sociais, mas questionam sistemas

 

SÃO PAULO – Investir nas redes sociais nunca foi tão promissor, porém ainda são muitos os empresários que questionam a eficácia deste sistema. A informação é da Orbium, empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de softwares para Contact Center, que avaliou a opinião de 156 companhias do País.

Segundo a pesquisa “CRM e Redes Sociais”, cerca de 70% das organizações entrevistadas possuem a intenção de investir em ações na internet. Entretanto, apenas 45,1% acham que a falta de um processo automatizado seja um empecilho para utilizar tal ferramenta.

Além disso, observou-se que 22,5% têm intenção de apostar nesse nicho, mas não no curto prazo.

Obstáculos

Entre os principais obstáculos citados pelas companhias estão a falta de processos automatizados, com 45,1% das opiniões, seguida pela falta de recursos financeiros para novos investimentos (32,4%) e carência demão de obra especializada para exercer a função (21,1%). Apenas 15% dos avaliados ainda acham que o conhecimento sobre o assunto ainda não é adequado.

Para a vice-presidente de Marketing e Estratégia de Negócios da Orbium, Clarice Kobayashi, os dados apontados se devem ao cargo dos entrevistados, no caso, presidentes e diretores. “Estes profissionais possuem uma visão geral do negócio e, por isso, não costumam enxergar os obstáculos. A equipe operacional, que tem uma visão parcial, se preocupa com os obstáculos e com disponibilidade para investimento” diz.

Monitoramento de marcas

Importante para manter a imagem da corporação, o monitoramento de marcas nas redes sociais também tem sido um serviço muito requisitado pelas empresas. Segundo a pesquisa, 52,1% das organizações entrevistadas consideram a atividade muito importante, enquanto 43,7% a classificam apenas como importante.

Já o número de empresários que considerou o serviço irrelevante ficou registrado em 4,2%.

O levantamento aponta ainda que, do total apurado, cerca de 57,1% das empresas afirmaram já ter realizado o monitoramento de marcas próprias de forma manual.

Em contrapartida, apenas 22,9% informaram utilizar recursos automatizados para executar tal tarefa.

Campanhas na net

Além disso, 47,9% das empresas pesquisadas disseram que realizam ou já realizaram campanhas em redes sociais, enquanto 42,3% jamais fizeram alguma, mas possuem interesse.

“Somente 9,8% das companhias consultadas responderam não promover ações nas redes sociais e que iniciativas dessa natureza não constam de seus planos”, informa Clarice.

Sobre a possibilidade das redes sociais gerarem insights para as empresas, 53,5% das entrevistadas acreditam que elas podem contribuir para os negócios.

O estudo

A pesquisa foi realizada no início deste mês pela internet e por telefone e contou com a opinião de representantes dos setores de serviços, financeiro, tecnologia, comunicação, varejo, benefícios, transportes, automotivo, seguros, imóveis, entre outros.

Entre os avaliados, cerca de 65% ocupam cargos de presidência ou atuam na direção de empresas, enquanto os demais costumam trabalhar em cargos de gerência de vendas, operações, tecnologia e análise geral.