Notícias

Brasil cai para 126º em ranking de facilidade de fazer negócios

 

O Brasil perdeu seis posições em um ranking sobre a facilidade de se fazer negócios em 183 países, divulgado anualmente pelo Banco Mundial.

Segundo o relatório Doing Business 2012 ("Fazendo Negócios 2012"), lançado na noite de quarta-feira (19), em Washington, o Brasil caiu do 120º para o 126º lugar no ranking, que analisa os regulamentos que afetam as empresas nacionais nesses países.

O novo estudo engloba o período de junho de 2010 a maio de 2011 e aborda todo o ciclo de vida das empresas, desde sua constituição até a resolução do processo de insolvência.

As avaliações levam em conta dez indicadores específicos e se concentram especialmente no ambiente para pequenas e médias empresas.

Apesar da queda no ranking geral, o Banco Mundial destaca a melhora na área de obtenção de crédito no Brasil, na qual o país ocupa a 98ª posição.

"O Brasil melhorou o sistema de informação de crédito, permitindo que agências de crédito privadas possam coletar e compartilhar informações positivas", diz o relatório.

Confira algumas colocações no ranking

POSIÇÃO PAÍS
Cingapura
Hong Kong
Nova Zelândia
Estados Unidos
Dinamarca
35º África do Sul
39º Chile
41º Peru
42º Colômbia
53º México
91º China
120º Rússia
126º BRASIL
132º Índia

Avanços

Segundo a coordenadora da equipe que elaborou o estudo, Sylvia Solf, é possível observar avanços no Brasil nos últimos seis anos. "O Brasil está na direção correta", disse Solf à BBC Brasil. "É uma questão de tempo."

Solf cita o indicador sobre "obtenção de eletricidade" - incluído este ano nas dez áreas específicas analisadas no relatório -, no qual o Brasil tem um desempenho destacado, ocupando a 51ª posição.

Nos rankings por área específica, a segunda melhor colocação do Brasil é relativa à proteção a investidores, com a 79ª posição.

O pior desempenho brasileiro é relativo ao pagamento de impostos, área na qual o país aparece em 150º lugar.

Brics

O ranking geral é liderado por Cingapura, que já ocupava o primeiro lugar no relatório anterior, seguida por Hong Kong, Nova Zelândia, Estados Unidos e Dinamarca.

Entre os Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o Brasil é o segundo pior colocado, à frente apenas da Índia, que aparece em 132º lugar.

A África do Sul é o mais bem colocado dos Brics, em 35º lugar. China (91º lugar), Índia e Rússia (120º) são destacadas pelo Banco Mundial por estarem "entre as 30 economias que fizeram mais progresso" nos últimos anos.

O Brasil também fica atrás de várias economias latino-americanas. O melhor colocado entre os países da região é o Chile, que ocupa a 39ª posição e é citado, ao lado do Peru (41º), da Colômbia (42º) e do México (53º), como destaque na implementação de melhorias regulamentares.