Notícias

Com aumento do mínimo, economia deve crescer 4% em 2012

 

O aumento do salário mínimo, que entrou em vigor no início deste ano, vai ajudar a garantir que a economia cresça ao menos 4% em 2012, disse nesta quinta-feira o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa. O salário mínimo subiu de R$ 545 para R$ 622.

Ele citou ainda os cortes na taxa básica de juros promovidos pelo Banco Central (BC), no segundo semestre de 2011, e a desoneração da folha de pagamento, como fatores que estimularão a expansão do Produto Interno Bruto (PIB).

"No seu todo, são medidas que entram em efeito gradualmente e promovem uma recuperação do crescimento que nós achamos que ficará na faixa de 4% a 5%", declarou após participar de seminário na Fundação Getulio Vargas, na capital paulista.

Sobre a inflação este ano, Barbosa disse que a previsão do ministério é que ela não deverá sofrer, como ocorreu em 2011, a influência de fatores que puxaram os preços para cima, como o preço do etanol. "Não deve se repetir este ano, pelo menos na mesma intensidade do ano passado, por exemplo, o aumento de preços do etanol".

O secretário estimou que a inflação fechará o ano em aproximadamente 5%, "como tem sido também indicado nos relatórios de inflação do Banco Central". Em 2011 o Índice de Preços ao Consumidor Amplo ficou em 6,5%.